Sábado, 16 de Dezembro de 2017

Buscar   OK
Brasil
Publicada em 13/04/17 as 19:07h - 204 visualizações
Sobrevida de pacientes com câncer

Matheus Santos - OGILVY PR Brasil


O Instituto Nacional do Câncer, nos Estados Unidos divulgou um estudo (pode ser visto aqui https://seer.cancer.gov/report_to_nation/survival.html) que aponta que de algumas décadas para cá, a taxa de sobrevivência por cinco anos ou mais após o diagnóstico de alguns tipos de câncer cresceu consideravelmente. A comparação levou em conta pacientes que tiveram câncer entre 1975 e 1977 com outros que sofreram com a doença entre 2006 e 2012.

 

2011 foi ano que surgiu o ipilimumabe, o primeiro imuno-oncológico do mercado. A imuno-oncologia tem revolucionado a forma de tratar o câncer, pois é uma nova abordagem, que faz com que as próprias células de defesa do paciente combatam as células tumorais. A imuno-oncologia tem apresentado os melhores resultados de sobrevida da última década, com melhor qualidade de vida (sem queda de cabelo, enjoo, fadiga, entre outros comuns à quimioterapia).

 

No Brasil, três tipos de câncer já podem ser tratados com dois medicamentos imuno-oncológicos: câncer de pulmão, melanoma e câncer de rim.

 

melanoma representa 4% das neoplasias malignas no país e a estimativa de novos casos para os anos de 2016 e 2017 é de 5.670, sendo 3.000 em homens e 2.670 em mulheres, segundo o INCA. Apesar de raro, o melanoma é um câncer altamente letal devido à grande possibilidade de metástase. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS) a incidência do melanoma vem aumentando nas últimas quatro décadas e a perspectiva é que em 2015 esse número suba para 250.178 novos casos.

 

câncer de pulmão é a principal causa de morte entre homens e a segunda entre as mulheres no país, de acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA). No Brasil, há previsão de 28.190 novos casos de câncer de pulmão entre 2016 e 2017, sendo 17.330 em homens e 10.860 em mulheres.

 

Com relação ao câncer renal, de acordo com o último levantamento realizado pelo Globocan, um banco de dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) com objetivo de organizar e divulgar dados e estimativas de incidência e mortalidade dos tipos mais comuns de câncer no mundo, em 2012, no Brasil, 3.291 pessoas morreram em decorrência do câncer renal. No mesmo período foram diagnosticados 6.255 casos da doença no país, sendo 3.761 em homens e 2.494 em mulheres.

 

Mundialmente o câncer de rim é um dos 10 tipos mais comuns entre homens e mulheres e aproximadamente 30% dos casos6deste tipo de câncer são identificados já em estágios avançados e em fase de metástase, quando o tumor se espalha para outras partes do corpo.




No Ar


Nenhuma programação cadastrada
para esse horário




Estatísticas
Visitas: 17758 Usuários Online: 1


Copyright (c) 2017 - RADIO JORNAL DE ITABUNA - Todos os direitos reservados